Thursday, September 4, 2008

Ensaio Sobre a Cegueira

Li o livro "Ensaio Sobre a Cegueira" em julho. Inicialmente me assustei com o modo de escrita do autor, José Saramago. Como português, ele utilizou o Português de Portugal, que é bem diferente do nosso Português no Brasil, mas nada que faça o livro incompreesível, só diferente. Aprendi um monte de palavras novas com o livro. Os diálogos sempre ficam dentro dos parágrafos, separados entre si e do texto do parágrafo apenas por vírgulas. É meio confuso no início, mas depois que se acostuma a leitura fica fluida.

A estória é bem interessante. De repente, ocorre uma epidemia de cegueira, pessoas começam a ficar cegas do nada, e a epidemia se espalha por todo um país. As pessoas têm que reaprender a viver cegas. O governo com medo da epidemia, isola todas as pessoas que adquirem a cegueira, presas e vigiadas constantemente dentro de um prédio, mas mesmo assim a epidemia não é contida. O autor narra os fatos que ocorrem dentro do prédio onde os primeiros cegos foram colocados de quarentena. Dentro do prédio, a esposa de um dos cegos se faz de cega para não deixar o marido, mas enxerga tudo o que ocorre. E ela começa a notar toda a degradação que vai ocorrendo enquanto o tempo passa dentro do prédio. As pessoas se tornando cada vez menos racionais, e animalescas.

O livro é chocante muitas vezes, e cheio de escatologias, mas não deixa de ser muito bom. Realismo fantástico. Diferente. E mostra que não existe uma grande diferença entre humanos e animais, e que a linha que divide os dois grupos é muito tênue, e quase imperceptível.

Eu ainda penso sobre o que exatamente o autor quis passar com o livro, mas ainda não cheguei a nenhuma conclusão. Parece que esta semana estréia o filme nos cinemas, e acho que é uma boa assistir, talvez eu pegue algo que não peguei durante a leitura, e consiga chegar a alguma conclusão.

Agora, criei vergonha na cara, e estou lendo Grande Sertão: Veredas - Guimarães Rosa. Apesar da leitura meio difícil estou gostando muito!

2 comments:

Mariana said...

To terminando O Ensaio. FODA. Sem mais palavras.

Nao gosto do tal do "o que o autor quis passar". Nao quis passar nada, caralho. O livro eh bom, eh absurdamente bem escrito e a historia eh muito bem construida, eh isso que importa. Eh ficcao, mas nao tem que ter uma "moral da estoria".

Quando to lendo ele, entro no clima totalmente. Essa semana acabou a energia em casa, e eu lendo O Ensaio Sobre A Cegueira no escuro, a luz de velas. E comendo pao duro pq tava com preguica de ir comprar. E fiquei me sentindo a propria mulher do medico, quase chego a sentir cheiros.

E sim, somos animais, antes de tudo.

Mariana said...

E eu me divirto com as expressoes portuguesas do tipo "não tou a perceber" :)

O Grande Sertão tb quero ler logo.