Sunday, July 15, 2007

Novas 7 Maravilhas do Mundo & Gordon Conference

Eis então que o Cristo Redentor foi eleito uma das novas 7 Maravilhas do Mundo. Definitivamente não concordo! Pode até ser o símbolo do Brasil, e como Brasileiro eu deveria estar achando ótimo, mas acho que entre os monumentos votáveis, o Cristo Redentor seria das minhas últimas opções. Talvez eu votasse no Cristo Redentor, caso esta escolha fosse feita daqui há alguns séculos, 500 ou 600 anos pelo menos, e este ainda estivesse de pé. Existem outros monumentos que representam realizações muito mais notáveis que o Cristo Redentor, e que depois de mais de mil anos ainda estão de pé. E historicamente, ou culturalmente falando, a maioria deles são mais importantes que o Cristo Redentor. Talvez se estivessem limitado a época da construção nos últimos 100 ou 200 anos, eu votaria nele com quase certeza, mas não dá pra comparar o Cristo Redentor, com as Pirâmides do Egito, a única das maravilhas do mundo ainda de pé, Angkor-Wat, Stonehenge, Acropolis, e nem mesmo com nenhuma das maravilhas eleitas.

Pra quem não sabe, as novas maravilhas do mundo são: A Grande Muralha da China, Petra (Jordânia), Machu Picchu (Peru), Chichén Itzá (México), O Coliseu (Itália), Taj Mahal (Índia) e o Cristo Redentor.

Voltei de uma conferência em South Hadley, MA, ontem. 12 horas de viagem na ida e na volta. A conferência (Gordon Research Conference: Origins of the Solar System) foi ótima. Encontrei algumas pessoas de outros países, mas a maioria absoluta eram americanos, como o esperado. Foi um encontro de astrofísicos, planetologistas, geólogos e geofísicos. Um grupo bem amplo de cientistas, mas mesmo assim não estava lotada, talvez umas 140 pessoas no total. Com tanta coisa diferente, não dá pra entender tudo, e é fácil ficar perdido nas apresentações fora da sua área, mas mesmo assim dá pra aprender uma coisa ou outra. Mas é interessante ver os vários grupos tentando interagir entre si, tentando ligar as coisas, e engraçado às vezes, os conflitos entre teorias de várias áreas diferentes tentando explicar a mesma coisa. À noite, após o jantar e o término das palestras, havia uma segunda sessão de posters, mas com cerveja de graça. Eu que não sou fã de cerveja, bebia pelo menos umas duas long-necks por noite. Infelizmente não tinha nada do meu gosto. Tive que beber uma cerveja chamada UFO, que não é muito boa, mas eu tive que experimentar só por causa do nome.

Comi lagosta pela primeira vez na vida, e é uma tarefa árdua pra dizer o mínimo, pelo menos pra primeira vez. Tinha até um manual de instruções ensinando como fazer! HAUhUahUAHuHAuHAuhAa... Bom... Comi, e não gostei muito, mas valeu a experiência. Foi divertido aprender o processo. Duas das pessoas na mesa, desistiram de comer na metade, achando muito difícil, mas eu não desisti até o final, e cumpri a missão! Ha! Talvez eu demore um pouco pra querer comer lagosta de novo, mas não é tão ruim que eu não queira comer nunca mais. Só tem um gosto diferente...

O lugar onde foi realizada a conferência, Mount Holyoke College, é muito bonito também. Tirei algumas fotos que depois eu vou disponibilizar na Internet.

2 comments:

khris said...

Entao... dificil comer lagosta neh? A minha primeira foi em Maine e fiz mais sujeira do q nao sei oq....mas achei o gosto igual ou mt parecido com caranguejo....

posta as fotos!
hj estamos no grand canyon e amanha vamos a vegas :)

bjos

GH of Xaos said...

Vou colocar, Crisinha! Pode deixar... :P